Os riscos do excesso de velocidade

Imprimir
Campanha educativa da BHTRANS mostra que comportamentos inadequados no trânsito podem ser fatais

Com o objetivo de reduzir o número de infrações e melhorar a mobilidade urbana da Capital, a Prefeitura de Belo Horizonte e a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTRANS) lançam mais uma etapa da campanha educativa Redução de Infrações. Desde o dia 1/11, propagandas com o tema “Bonito, hein? Adorava correr no trânsito. Agora está correndo para o hospital” estão sendo veiculadas nos jornais, nas emissoras de rádios e redes de televisão de Belo Horizonte.

Nessa última etapa, a campanha mostra as trágicas consequências do excesso de velocidade e como os comportamentos inadequados apresentados nas outras fases da campanha (parar em fila dupla e fechar cruzamentos), prejudicam a fluidez do trânsito e podem ser fatais. “Respeite as leis. Porque tudo o que você faz no trânsito acaba voltando para você”, diz a mensagem final da campanha.

Na primeira etapa da campanha, que teve início em setembro deste ano, depoimentos reais ilustraram que apenas 19% dos veículos da Capital receberam alguma multa no primeiro semestre deste ano. Foram publicados em jornais e revistas da Capital informações sobre a verdadeira situação das autuações de infração de trânsito e da destinação do dinheiro das multas aplicadas pela BHTRANS.

Em uma segunda fase, a campanha passou a mostrar como comportamentos inadequados dos motoristas no trânsito, em algum momento, acabam se voltando contra eles próprios. Como é o caso do condutor que para em fila dupla em um dia e no outro pode ficar preso em um congestionamento causado por outro veículo parado em fila dupla; ou do motorista que fecha o cruzamento e no dia seguinte não consegue passar por uma interseção pois outro veículo está parado no mesmo local.

A BHTRANS e a Prefeitura trabalham para diminuir o número de infrações, melhorar o trânsito e prevenir acidentes na cidade. O índice de multas em Belo Horizonte, no primeiro semestre de 2009, foi pequeno. Se cada um fizer a sua parte, respeitando as leis de trânsito, esse índice pode diminuir cada vez mais.

A empresa dedica total empenho na construção de uma cultura de respeito à legislação de trânsito, por meio de atividades educativas, fundamental para a cidade. Uma das funções da BHTRANS é operar o trânsito, para garantir uma circulação mais ordenada e segura, dentro do conceito da mobilidade urbana sustentável, mas é imprescindível o cumprimento das leis de trânsito por todos.

É importante ainda destacar que, em Belo Horizonte, a taxa de mortalidade por 10 mil veículos caiu de 10,83, em 1993, para 2,22, em 2007. Este é um dos mais importantes resultados das ações da BHTRANS na cidade.

O Trânsito em Belo Horizonte

No último ano, enquanto a frota de veículos de Belo Horizonte cresceu 6,5%, o número total de multas diminuiu 2,6%. A frota passou de 1.083.591, no primeiro semestre de 2008, para 1.167.291, no primeiro semestre de 2009. No mesmo período, o número de autuações caiu de 315.914 para 307.638.

Segundo Ramon Victor Cesar, Diretor-Presidente da BHTRANS, a idéia que os agentes da empresa multam muito “é quase uma lenda urbana que precisamos desmitificar”. No primeiro semestre deste ano, 81% dos veículos não tiveram nenhuma autuação, ou seja, de cada 100 veículos apenas 19 foram multados no período. Dos 19% multados, 14% receberam uma única multa, 3% receberam duas multas, 1% recebeu uma multa e 1% recebeu mais de 3 multas.

Enquanto as multas emitidas pela fiscalização eletrônica aumentaram 3,4%, percentual inferior ao crescimento da frota, as autuações aplicadas pelos agentes de trânsito diminuíram 6,6%. Isso mostra que eles não estão multando tanto quanto se ouve. E, quando multam, é em função do não cumprimento das leis de trânsito por motoristas e motociclistas.

Despesas e Investimentos

Do total de despesas e investimentos realizados pela empresa no 1º semestre deste ano, apenas 38% foram cobertos pela receita de multas de trânsito e os 62% restantes foram pagos com outras receitas. Vale lembrar ainda que todo o recurso das multas é investido em manutenção e implantação de sinalização; operação e fiscalização de trânsito; ações de segurança e campanhas educativas, segundo determina o Código de Trânsito Brasileiro.

Fonte: BHTRANS