PBH autoriza licitação de novas placas de Táxi

Imprimir

Belo Horizonte vai ganhar mais 605 novas permissões de táxi, para atingir a meta de 6.560 veículos circulando.

A promessa de visitar os filhos nas noites de sexta-feira está cada vez mais difícil de ser cumprida pela aposentada Maria Eugênia Soares, de 67 anos. E o motivo é comum para boa parte dos belo-horizontinos, que é a dificuldade para conseguir um táxi, especialmente nos horários de trânsito mais movimentado. “Já cheguei a chamar o carro 40 minutos antes de me arrumar e, mesmo depois de pronta, esperei uma hora e meia. É um teste de paciência, porque faltam carros para atender a demanda e a demora é muito grande”, desabafou.

Já o taxista Felipe Meireles, de 28 anos, associado à cooperativa BH Táxi, garante que não é pela falta de veículos que os passageiros esperam muito tempo. “Nos horários de pico o tráfego é bem mais complicado, e por isso os deslocamentos demoram mais, fazendo os outros passageiros aguardarem por um táxi disponível. Não é preciso aumentar o número de carros, o que prejudicaria os motoristas antigos”, disse.

No entanto, no domingo de Carnaval e na manhã desta quarta-feira (22), dias em que o trânsito na cidade estava tranquilo em função do feriado prolongado, vários pontos de táxi da capital estavam vazios e muitas cooperativas não atenderam o telefone. “Mas isso é porque grande parte da população viajou e não fazia sentido ter um grande número de veículos rodando”, justificou o taxista Moacir Cruz Linhares, de 46 anos.

Se o problema é com o tráfego intenso ou com a frota defasada, só a concessão de novas placas, autorizada pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), neste mês, vai responder. Quem ganhar a concorrência vai pagar R$ 5 mil pela permissão, que vai valer por 25 anos e não poderá ser prorrogada. As informações constam no decreto número 14.843, publicado no Diário Oficial do Município (DOM), na última sexta-feira (17).

O texto do DOM informa que serão 605 novas permissões: 545 específicas para veículos comuns e 60 para atender pessoas com deficiência física ou dificuldades locomotoras. O número se refere à necessidade constatada pela PBH de se chegar às 6.560 permissões com a nova autorização que, teoricamente, atenderia à atual demanda.


Procurada para repercutir os dados relativos às novas permissões de táxi na capital mineira, bem como o processo de licitação das placas, a BHTrans informou que o diretor do órgão, Ramon Vitor César, estava viajando e só retornaria ao trabalho na quinta-feira (23). Registrou ainda, por e-mail, que “outras informações serão divulgadas quando a Portaria da BHTrans for publicada”. O presidente do Sindicato dos Taxistas de Belo Horizonte (Sincavir-BH) também não foi encontrado para opinar sobre o assunto.
Fonte: Jornal Hoje Em Dia 23 02 12